quarta-feira, 1 de maio de 2013

Os Ishizuki mais conhecidos do mundo - Tetrameles de Ta Prohm

´

Tetrameles Nudiflora
- TA PROHM -
CAMBODJA


Talvez não existem muitos aficionados,que não conheçam estes Ishizuki naturais,fazem parte de quase todas as galerias de inspirações da Natureza de documentos Bonsaistas.
Pois a espécie que formou essas raízes extraordinárias,actualmente consideradas património da humanidade. Tem o seu nome cientifico ( poucas vezes designado) de Tetrameles Nudiflora e encontram-se no Continente Asiático,mais propriamente no Cambodja..









Ao dar uma vista de olhos numa biblioteca particular de um amigo,encontrei um livro em que automaticamente reconheci as ditas raízes,e ao averiguar junto dele, falou não da árvore, mas das fotos e do autor das fotos!!
O livro é da autoria de um Sr. chamado John Mcdermott,um fotografo reconhecido.

A partir daí  reparei que essas raízes centenárias e inspiradoras para qualquer Bonsaista ,não vinham referenciadas com a espécie da árvore que alimenta,e foi talvez por essa razão que a partir daí fiquei curioso de saber algo mais destas árvores.

Ver o livro click na capa
Elegy - The angel Adams of Ankor / John Mcdermott


A informação é imensa sobre o lugar em que se encontram..
Sobre as árvores nem tanto...


Quanto à localização encontram-se na Ásia no Camboja, num antigo Templo Budista construído em 1187 e à centenas de anos abandonado no meio da selva até ser "descoberto" em meados do século passado.








Faz parte dos cerca de 100 templos de Angkor  uma região do Camboja que serviu como sede de um império que floresceu  entre o século IX e o século XIII.
Actualmente recebe a visita de 2 milhões de pessoas todos os anos.

E entre os templos,muitos apenas ruínas encontra-se a antiga cidade de Ta Prohm e o seu templo em ruínas aonde as incríveis árvores  foram-se  apoderando  com as suas raízes durante séculos,em formas magistrais para qualquer admirador de fenómenos da Natureza e muito mais para qualquer aficionado Bonsai.

O templo onde se encontram tais árvores é o mais visitado de toda a rota turística de Angkor,com os créditos quase por inteiro para as árvores centenárias que  desenvolveram as suas raízes na própria construção.
Quanto às árvores ,não encontrei qualquer data especificada,apenas referenciadas como centenárias e quase sempre sem qualquer referencia à espécie.

















A ESPECIE:
- Tetrameles nudiflora -

"...  is a species of plant in the Tetramelaceae family. It is found in Queensland (Australia), Bangladesh, Bhutan, China, India, Indonesia, Laos, Malaysia, Myanmar, Sri Lanka, Cambodia, Thailand, and Vietnam. It is the only species in its genus Tetrameles.
Many of them have grown to immense proportions of height and width.
In India, these trees can be particularly found in large numbers in The Thattekad Bird Sanctuary, Kerala.
In Viet Nam, a number of fine specimens are shown to visitors in Cat Tien National Park - one within walking distance of the park headquarters.
In Cambodia the  famous tree growing in the Ta Prohm temple ruins  is Tetrameles nudiflora..."  Texto retirado da Wikipédia


Nos dias de hoje foram "protegidas" pela UNESCO,os seus "estrangulamentos" ao Templo, como património da humanidade,as ruínas não podem ser completamente  restauradas,enfim o maior espectáculo são mesmo as árvores centenárias e suas raízes que actualmente recebem centenas de visitas de turistas todos os dias.





?!





A mais conhecida do conjunto centenárias, foi-lhe mesmo atribuído um "nick name",pela qual é conhecida e designada em quase todos os guias turísticos esta Tetrameles nudiflora.

"Crocodille Tree"

















Um conjunto de árvores que sempre que se inúmera as mais espectaculares e idosas árvores do mundo, alguma foto de suas raízes está  presente.
Também fazem parte agora, das " Árvores Centenárias e Milenares (click) " deste Kintall.



2 comentários:

Rui Ferreira 16 de abril de 2010 às 08:21  

Olá Rodrigo

Não quero de maneira nenhuma tirar crédito ao teu trabalho (obrigado pelas fotos) mas técnicamente não concordo com a demoninação de estilo Neagari a estas fabulosas árvores.
Penso que se trata mais de estilos Ishizuki pois embora não cresçam sobre rochas naturais mas sim sobre amontoados de rochas transportados de um lado para outro por homens (deve ter dado algum trabalhinho)na verdade as raízes envolvem e seguram os muros ou edificios tal como o estilo Ishizuki por nós conhecido em rochas naturais (Kimura tem mesmo algumas árvores em rochas por ele fabricadas ou modificadas)mas de qualquer maneira obrigado!
Não sei onde decantas tanta inspiração mas o teu trabalho é uma mais valia para a comunidade Bonsaìsta!!!

Rodrigo Sousa 17 de abril de 2010 às 00:19  

Olá Rui,boas noites.

Por muito que por vezes não queiramos,é bastante util e nesseçario para comunicarmos e exprimirmo-nos,as denominações e definições linguisticas...Chega quase a ser essencial...
As palavrinhas Japonesas que ajudam bastante,ao contrário do que (pelo menos eu) ao principio pensava.


Pois é,comecei por chamar-lhes apenas Nebaris...
Depois passei para Sekijojus,mas também não era o mais indicado,não "batia certo"...
Depois mesmo sabendo que não era a melhor definição,optei por olhar para as ditas,como um estilo de arvore de raizes aparentes.

E agora depois desta tua mensagem,penso que finalmente e defenitivamente está encontrada a denominação melhor para a maneira como cresceram.

Já comecei a olhar para as fotos como umas arvores Ishizuki naturais.
Julgo naturais,porque embora cresçam numa construção humana,não foram moldadas,foi a natureza da própria arvore que progredio,e "abraçou" as pedras,que neste caso era de um templo..

Rui obrigado pelas palavras,fico sempre contente e interessado nas tuas observações e opiniões,já sabes disso.

Cumprimentos
E uma saudação muito grande.
Rodrigo

eXTReMe Tracker

  © Blogger templates ProBlogger Template by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP