terça-feira, 29 de setembro de 2009

Minhas Bases - Pinu da Costa - Poda de formação



Depois de uma atenta observação da arvore decidi fazer a 1ª intervenção nesta arvore a nivel de formação.

Até aqui não tinha tido qualquer tipo de trabalho fisico com a arvore.
Apenas foi adubada com 5.5.5  organico solido,e algum quimico liquido 6.4.5. e quelatos de ferro na Primavera.

Ao observar a arvore neste inicio de Outono,apareceu-me bastante forte para investir numa 1ª poda de formação.
Uma grande quantidade de velas,as agulhas compridas bastante rijas,aspecto vivaz..Enfim forte. 




Já tinha um desenho pensado á alguns meses (click) , para um futuro Bonsai.
Tinha muitas hipoteses de formação,porém optei por tentar um Mayogi mais classico,com algumas copas destintas umas das outras, como acontece em alguns   idosos Pinus na Natureza,que vão destinguindo copas com a idade.

E o começo do desenho ficou desta forma:
Um Mayogi,que pretendo ve-lô amadurer durante bastantes anos,se possivel todos.

28 Setembro 2010

Se reagir bem ,terá de aos poucos ser retocada a formação rebaixando mais o apice e ampliando-o um pouco,os jins (mante-los ou não),etc..

Mas os proximos trabalhos claro que depende da reação da arvore e da forma como se desenvolver no proximo ano...



3 comentários:

Rui Ferreira 29 de setembro de 2010 às 08:32  

Olá Rodrigo

Tentativa corajosa esta de trabalhares pela primeira vez um Pinus!
Embora eu ache muito interessantes os desenvolvimentos na formação de ditos Bonsai em estilo naturalista penso contudo que para o meu gosto neste teu trabalho á um pouco uma falta de coerência entre os elementos (o tronco e os três satélites de folhagem ou copas) e por isso a imagem final fica um pouco dispersa.

Por vezes o que vemos na natureza traduzido literalmente para Bonsai pode perder em expressão visual.
Não só as três copas se espalham muito como dão uma imagem demasiado simétrica.
Penso também que o topo principal não tem um movimento expressivo reflectido no movimento inicial do tronco.
Usando ráfia e tape no futuro poderias corrigir essa parte aguçando a curva do topo primeiro para a direita baixando-o e depois dobrando-o para a esquerda seguindo o movimento gerado pelo ramo mais baixo para a esquerda.
Se a árvore fosse minha penso que retiraria o ramo da direita deixando um pequeno Jin e criando um pequeno ramo para a direita com um dos ramos do topo.
Assim seria criado movimento direção e assimetria.

Mas tudo o que estou a dizer é apenas a minha interpretação da árvore como a vejo nas imagens e não uma tentativa de remodelar todo o teu trabalho e anular as tuas ideias.
Conheço-te um pouco e respeito muito a tua grande creatividade e sei que estás ocupado em encontrar o teu caminho nesta selva portanto não leves isto como uma crítica mas sim como uma dica (não pedida!)
Um abraço

Mário Eusébio 29 de setembro de 2010 às 10:51  

Viva Rodrigo!

Além de tudo o que Rui disse que concordo plenamente, acho que esta tua árvore está a ser tratada um pouco como uma folhosa e não como conifera. Se deres um passeio aqui pelas terras do norte :) onde vês essa espécie em meio natural, verás que é "natural" a tendencia pendente dos ramos em que o angulo de saida é mais horizontal ou até em angulo fechado para baixo e a ramificação secundária, sobretudo nos ramos de baixo, pende, apenas levantando um pouco na pontas com os grupos de agulhas a apontar para cima.

Eu optaria por inclinar mais a árvore á direita, cortando o ramo da esquerda e deixando um pequeno jin, depois daria mais movimento para a esquerda ao tronco acima do ramo da direita e com um dos ramos do ápice faria um novo ramo á esquerda e depois a consequente distribuição para cima! Mas há mais que uma hipotese com essa árvore.

Continuação de Bom trabalho!

Abraço.

Mário Eusébio

Rodrigo Sousa 29 de setembro de 2010 às 16:23  

Viva Rui,viva Mário.

Há arvores que se tira uma foto,e fica desturcido do que é na realidade.
Mas esta foto (não sei porquê),fico bastante real.Vejo na foto praticamente o que vejo na frente da arvore ao vivo.
Isto para dizer,que é perfeitamente possivel de fazer a leitura do "designe" através desta imagem que pôs aqui.(levando em conta esta frente,claro).

A arvore era tão composta,que achei uma quantidade de desenhos.Desde um shoin pequeno e compactado,até um Fukinagashi credivel,que penso que era capaz de se fazer.
Mas optei tentar fazer uma : Copa à direita + Copa á esquerda + Copa de apice.

Porém...Aí estão varios problemas para "ateimar" com esse desenho.

Rui depois de ver a tua leitura da arvore,cada vez mais vejo essa falta de coerencia.O tronco é talvez demasiado retrocido e bailarino para "espetar" com 3 copas estaticas,não condiz!!
E Máro penso que tens razão que a minha cabeça esta a fugir para uma folhosa .

Para agora,não vou mexer mais.Verei se reage bem na Primavera á poda que foi feita,e ao arame ( coloquei o menos possivel, uns aramezitos para começar a dar alguma forma e não sacrificar muito.(O medo dos Pinus!!).

Mas se reagir bem penso que não vale a pena "ateimar" no Mayogi classico com este tronco base..E partir para uma opção mais dinamica para a arvore ficar mais credivel.

Estive a ver as vossas duas opções se fossem trabalhar nesta arvore (e quem sabe não iremos?),e gosto das duas,agradeço por isso a vossa opinião nestes principios que é uma grande ajuda.

Rui sabes que para mim é sempre uma alegria receber as tuas opiniões e que oiço (neste caso leio )com a maior das atenções,não é preciso pedir que são sempre o mais bem vindas possivel.
E se fosse tão arrogante que não aceita-se opiniões,não fazia qualquer sentido pôr fotos na Internet dos projetozitos que tenho para tentar Bonsai.
E Mário contigo igual,são sempre bem vindas as tuas palavras e sabes bem que tenho algumas arvores com desenhos baseados em opiniões tuas.

Um abraço para os dois.
Rodrigo

eXTReMe Tracker

  © Blogger templates ProBlogger Template by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP