terça-feira, 7 de julho de 2009

Zen Estaca Globulus - ZEG



Por cierto como van tus Eucaliptos?

............................


Rodrigo, bom dia.
Mostra pra gente como anda o teu eucalipto.
Fizeste mais alguma alteração nele?
Abraço.

.............................

How is your experience with Eucalyptus?

............................

Etc...Etc....






Eu também estou interessado em fazer um Yamadori de Eucalipto, para obter uma planta bem natural. Navegando pela Internet não encontrei fotos de Eucaliptos muito antigos. Tenho por base alguns na minha região com cerca de 30/40 anos.
Se você tiver alguma foto, gostaria que compartilhasse comigo, pois tenho muito interesse.



Jonas fez no dia 23 de Maio um ano que recolhi um pequeno rebento da especie,não tem muito que mostrar mas vou tirar fotos e publicar aqui o desenvolvimento do 1º ano,cresceu bem e está a engrossar também,ou seja para agora está só na "engorda" .
Precisamente porque gostava de fazer um Bonsai ou dois da especie e por via yamadori penso que está fora de questão,porque as raizes têm pelo menos o mesmo comprimento debaixo do solo que a altura da parte aeria da arvore.Dá para imaginar que é impossivel de retirar para recuperar num vaso.
A não ser num caso de nascer dentro de um buraco de uma pedra,ou algo semelhante mas penso ser pouco provável que a especie sobreviva na natureza nessas condições,como os Pinus ou Juniperos..

Como 1º ano de experiencia de realizar de semente praticamente,tenho umas dicas simples que aprendi com a planta,tenho gostado de tratar da pequena recolha.
As dicas são simples,não é nada de especial.
A primeira é que fiquei espantado com a quantidade de agua que "bebe",um garrafão de agua de 5 litros e no dia seguinte já está a pedir mais agua..E pede mesmo,assim que esgota a agua ,as folhas do apice murcham,ficam descaidas é incrivel.
Assim que se poem agua 10 minutos e estão de novo vivazes.
Ou seja não faltar com agua.

As primeiras ramas vão sempre secando,para crescer em altura,já ensaiei sombrear a arvore e deixar apenas com luminusidade as ramas mais baixas,mas não resulta,continuam na mesma a crescer o apice mesmo sombreado e as mais baixas,vão secando..Ou seja,vai ter mesmo de ser por fases a construção da arvore.

Primeiro a "engorda",depois podar tudo e deixar apenas o tronco,e depois logo se vai vendo o melhor sistema de formar a ramificação secundaria,também ainda não sei a melhor forma.
Tenho apenas relatos de pessoas que trabalham com a especie em Bonsai,e que como regra incontornável e sabem-no por fracassos que tiveram será:
Solo organico sempre,solos inertes ,Akadamas,argilas cozidas,etc..É morte certa...
A razão é segundo me explicaram,não tenho a minima experiencia pessoalmente.É que ao se envasar em solos inertes,é obrigatório adubar o solo e a natureza da especie não permite,"entoxica-se" facilmente,mesmo com adubos organicos de libertação lenta.

Tem de se transplantar todos os anos,porque depois dentro de um pequeno vaso dois anos é o suficiente para as raizes que se formam repentinamente bastante grossas,estrangulam a arvore e ..Morte certa..

Como se transplanta anualmente,com solo organico,a planta praticamente não nessecita de qualquer adubagem extra em Bonsai.

Bom mas vai-se indo e vai-se vendo,até agora estou a gostar desta planta,embora não tenha fotograficamente grande coisa para mostrar,apenas o que cresceu em tamanho,e a evolução do diametro do tronco num ano de "engorda".





Tentando engordar mais a base ::




Tentando aproveitar desde logo uma rama para fazer a conecidade do tronco ::



Tentando que não lhe falta por nenhum instante AGUA (rega automatica,para dias de extremo calor) ::




Tentando não alterar o PH do solo (agua destilada UP) ::



A todos que têm partilhado informações sobre esta especie comigo ,e têm-me escrito com sujestões e interesse...Obrigado.

Não há muito para mostrar num Blog, nesta fase que está apenas a "Engordar"..
Mesmo assim fiz um apontamento do primeiro ano desta fase..
Para o ano farei um outro talvez com a primeira fase concluida??





2 comentários:

Leonardo Couto 13 de julho de 2010 às 00:47  

Olá meu caro Rodrigo,

Primeiro gostaria de agradecer por ter colocado meu blog na sua lista de atualizações, fiquei extremamente feliz!! Muito obrigado, fiquei lisongeado!

Segundo, pois ao ler sua atualização sobre eucaliptos, tenho alguns comentáriso a fazer sobre as coletas que você deseja fazer mas não sabe como...
Realmente, o eucalipto precisa de muita água devido seu acelerado crescimento, não esqueça!
Com relação a recolha, tenho uma dica para você.
O eucalipto possui raiz pivotante, e você está certo em dizer que o que temos em cima do solo, temos a baixo, genericamente é isso mesmo...
Contudo existe um método chamado sangria que torna possível a coleta de praticamente qualquer árvore de diversos tamanhos, inclusive as pivotantes. É assim:

- Observe a copa da árvore e faça uma circunferência no solo, como se fosse um reflexo, até onde ela chega;
- Após rodear a projeção da copa da planta no solo, faça uma cova nesse círculo de 20cm de largura, para profundidade veja o diâmetro que a árvore tem na altura do seu peito e multiplique de 6 a 8 vezes. Essa deve ser a profundidade da cova;
- Com isso você terá um torrão e a árvore estará isolada;
- Coloque nessa vala uma mistura de aproximadamente 50% de areia e matéria orgânica (terra preta adubada organicamente);
- Deixe a planta descansar por no mínimo uns 30 dias, observe e veja como ela está de adaptando a essa condição, e regue-a abundantemente sem adubação por enquanto;
- Passado esse período de criação das novas raizes fasciculadas (superficiais) faça o transplante mexendo o mínimo possível no novo torrão e encaminhe a árvore para um local já preparado com mais substrato.

Qualquer dúvida é só perguntar, essa ténica é muito utilizada para o transplante de árvores de grande porte aqui no Brasil.
Para diminuir um pouco o torrão, você pode fazer uma poda de galhos, diminuindo um pouco o tamanho da copa!!

Boa sorte e forte abraço!!
Leonardo Couto

Rodrigo Sousa 13 de julho de 2010 às 04:46  

Olá Leonardo viva.

Tenho usado a sangria para recolher os Quercus e tem dado resultado.
E tenho três arvores sangradas para recolher no Outono.Aqui por volta de Outobro/Novembro,de uma especie que se chama Arbutus Unedo por aqui o chamamos de Medronheiro,no Arbutus foi precisamente por causa de serem bastante grandes que fiz a sangria,vamos lá ver se ajuda.Nos Quercus,fi-lo devido a serem bastante melindrosos e exactamente por ter raiz pivotante,o que muitas vezes,só vão aparecer algumas raizes finas a bastantes metros de profundidade.

Desconhecia totalmente essa forma matemática,para uma pessoa se orientar quando for nesseçario.
Uma optima maneira para calcular desde logo o trabalho de "escavar".

Não fazia ideia também que o Eucaliptus,aceita-se esse tipo de propagação.
Claro vou utilizar na proxima Primavera em alguns Eucaliptus,com os calculos.
Aqui na minha região,os Eucaliptais estão em zonas praticamente de areia,o que facilita bastante e torna viavel usar a técnica.
Leonardo muito obrigado,por a tua mensagem,bastante detalhada,bastante interessante e certo que vou experimentar em alguns exemplares da especie.


Vai aparecendo e comentando que,ganha-se bastante com a troca de conhecimentos.

Darei noticias do Yamadori na altura que realizar.

Um abraço
Rodrigo Sousa

eXTReMe Tracker

  © Blogger templates ProBlogger Template by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP